carta do Modesto da Silveira

Rio de Janeiro, 21 de junho, 1968
Ilmo- Sr.
Dr. Rômulo Gonçalves
Rua 6, ng 21
Goiânia — Goiás

Rômulo:

Bom dia. Depois de falarmos ao telefone, fui direto ao STM para fazer nova verificação a respeito dos HCs de GIDE PEREIRA e ANDRÉ LUIZ DOS SANTOS, nada encontrando sobre qualquer deles, na seção competente (2a.). Subindo ao plenário do Tribunal, estava sendo julgado o hc. nº 29.442 (Rel. Min. Ernesto Geisel) de ANDRÉ LUIZ CAMPOS. Compreendi que era o seu; mas, já no pude sustentar. Primeiro porque não tinha poderes; segundo, porque já estavam votando. Foi negado.

Como você sabe, a 2ª. Seção faz fichário pelo último name, razão pela qual no acharam nenhum José Luiz dos Santos. Agora estou preocupado em que o nome que você me deu de GIDE PEREIRA, aparentemente “de memória”, não esteja completo. Quer verificar 13856

Quanto ao h.c. do ANDRE LUIZ CAMPOS, caso você queira ampliar os fundamentos ou recursos etc., informe-me. Se precistir de certidões etc., em Juiz de Fora, pode usar o advogado que me representa lá: Winston Jones de Paiva, xximMtacift rua Halfeld, 763 s/ 81 (52 andar)
Juiz de Fora — Minas.

As coisas estio muito pretas hoje aqui no Rio. A luta estudantil está nas ruas, com muita vibração e violência. Neste momento, por exemplo, todo o Centro da cidade é uma verdadeira nuvem de gás lacrimogênio. Meu escritório, a pesar de se achar no 9º andar, no está escapando ao gás. Estou escrevendo esta carta e chorando. Segundo soube, já houve algumas mortes e ainda há tiroteio da PM em alguns pontos. Nem sei se, ao descer, conseguirei colocar esta no correio. Helicópteros rondam a cidade, controlando os movimentos dos jovens. No sei como vão ser as coisas.

Um abraço cordial.