Artigo publicado no Correio da Manhã (RJ) em 09/10/1964.

“O advogado Rômulo Gonçalves classifica o fato como ‘inominável violência, que representa o naufrágio dos sagrados direitos de defesa’.”