Artigo publicado no Jornal de Notícias (GO) em 27/01/1957.

“Uma bracelete de ouro nada significa para o indivíduo que reclama sabedoria e elevação, mas excitará, sem dúvida, a cobiça diabólica do homem desvairado e infeliz, cujas correntes mentais estejam agregadas ao vale imundo da matéria inerte.”